27/04/2022 | Notícia Simesp

Ato contra a terceirização do Instituto Emílio Ribas: Trabalhadores do IIER seguem mobilizados!


Com muita luta, os trabalhadores do Instituto de Infectologia Emílio Ribas (IIER) conquistaram em dezembro de 2021 o compromisso do Governo do Estado de São Paulo para a realização de um concurso público, que contempla 206 vagas de diferentes categorias. Contudo, só foi aberto o edital para a realização da prova de 42 médicos, faltando o edital de contratação de enfermeiros e técnicos de enfermagem. Diante do desfalque profissional e das ameaças de terceirização, as associações de médicos (Amiier) e de médicos residentes (Ameriier) do Emílio Ribas convocam a todos para o Ato contra a terceirização do IIER, nesta quinta-feira (28/4), às 11h, na Avenida Dr. Arnaldo nº 156.

Há anos, o Governo do Estado não abre concursos para reposição do quadro de funcionários e ampliação do corpo clínico do Instituto. Somado a isso, uma obra que dura mais de sete anos ampliará significativamente o número de leitos quando for concluída. Haverá consequentemente uma necessidade maior de recursos humanos. Mesmo com a abertura dos editais previstos, vão faltar profissionais para suprir toda a capacidade de atendimento. Assim, o governador Rodrigo Garcia (PSDB) e a própria administração do Emílio Ribas levantam a possibilidade de terceirizar enfermarias do Instituto.

Na pandemia, a gestão da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do IIER foi cedida à Organização Social de Saúde (OSS) Associação Pelo Desenvolvimento da Medicina (SPDM). Um estudo publicado em novembro de 2021 no periódico The Brazilian Journal of Infectious Disease demonstra que a letalidade na UTI terceirizada foi quase duas vezes maior do que na UTI com atendimento prestado por servidores públicos via administração direta. “A pesquisa também mostra que a UTI terceirizada administrou cinco vezes mais hidroxicloroquina aos pacientes, tratamento sem comprovação científica.

Os trabalhadores do IIER vem se mobilizando há algum tempo contra a terceirização, Somente no ano passado, eles participaram de assembleias, audiências com o poder público, manifestações, de uma paralisação de residentes e do ato solene realizado na Alesp. Os profissionais se opõem à administração privada por se tratar de um modelo que afetará drasticamente a pesquisa, a contratação dos profissionais da saúde e a qualidade do atendimento da população. O Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) segue junto aos trabalhadores do IIER e apoia a luta por um #EmílioRibasporInteiro.

Em carta aberta, os funcionários, residentes e associações do IIER exigem a realização do “concurso público para todas as categorias conforme o que foi acordado com o governo. E mais, que o concurso aconteça para a abertura dos leitos e a manutenção do serviço com a administração direta, garantindo todas as atividades de excelência que o Instituto oferece.” 

Pela manutenção da qualidade dos atendimentos, do ensino e da pesquisa, não à terceirização!


Ato contra a terceirização do Instituto de Infectologia Emílio Ribas
Quinta-feira, dia 28/4, às 11h
Avenida Dr. Arnaldo, 156

 



COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA


SIGA O SIMESP


CONTATOS

Assessoria de Imprensa

Paulo Galvão
(11) 3292-9147
paulo@simesp.org.br


Redação

(11) 3292-9147
imprensa@simesp.org.br


NEWSLETTER

SIMESP - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS