15/06/2022 | Notícia Simesp

Em greve, médicos de dez UBS do Butantã organizam atos e lançam carta de reivindicações


Em greve pela readmissão imediata do Dr. Marco Antonio na UBS Real Parque, médicos de dez unidades do Butantã realizam, junto com a Associação Pankararu, um ato em frente à Câmara dos Vereadores. Às 13h, acontece uma audiência pública na assembleia sobre as demissões e injustiças cometidas na terceirização da saúde pública. Os médicos também exigem que a Prefeitura de São Paulo e a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) os recebam.

A postura da SPDM de demitir por perseguição política – e a conivência da SMS – é escandalosa. O Dr. Marco é especialista em saúde indígena, preceptor da residência de Medicina de Família e Comunidade e liderança dos médicos e trabalhadores da UBS Real Parque. Sua demissão se configura em um grave ataque aos trabalhadores do SUS que ousam se mobilizar em seus locais de trabalho, e pode abrir um precedente de perseguições e abusos. 

A gestão privada de serviços e equipamentos públicos favorece situações de perseguição e desligamentos por motivações políticas, pois os trabalhadores não possuem estabilidade para contestar suas gerências. O modelo de OSS também não estimula a permanência de profissionais qualificados em suas unidades e desresponsabiliza o poder público. A Prefeitura não organiza nem coordena a política de atenção indígena, além de não ter dado respostas ao Sindicato sobre o desligamento.

Em carta, os médicos das dez UBS paralisadas explicam o motivo da mobilização e denunciam a medida política e arbitrária da SPDM, que desconsidera os profissionais, o Conselho Gestor da UBS Real Parque e a comunidade. Além da reintegração imediata do Dr. Marco, eles listam uma série de reivindicações de respeito ao trabalho e ao controle social: como o envolvimento dos conselhos nos processos decisórios, a justificativa e fiscalização, por órgão competente, das demissões; fim do assédio e da obrigatoriedade das cargas horárias extras em sábados ou feriados, e mais. Confira abaixo a carta completa.

Às 17h, os médicos em greve, a população atendida pela UBS Real Parque e a Associação Pankararu realizam um novo ato na Prefeitura de São Paulo para pedir a readmissão do Dr. Marco, o respeito à saúde indígena e a reabertura do diálogo com o poder público.
Carta de Reivindicações - Coletivo médicos APS região Butantã


COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA


SIGA O SIMESP


CONTATOS

Assessoria de Imprensa

Paulo Galvão
(11) 3292-9147
paulo@simesp.org.br


Redação

(11) 3292-9147
imprensa@simesp.org.br


NEWSLETTER

SIMESP - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS