Manifestação | Outros assuntos

Ato contra as terceirizações na saúde aconteceu dia 29


Juliana Salles durante o ato

Na última quarta-feira, dia 29 de julho, médicos se somaram a demais trabalhadores da saúde em ato contra as terceirizações irrestrita da gestão de Bruno Covas. A manifestação aconteceu em frente à Prefeitura de São Paulo. Os 11 hospitais da autarquia municipal correm risco de terceirização, de acordo com o plano anunciado pela Secretaria da Saúde (SMS) ainda em 2019.

De acordo com Juliana Salles, diretora do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp), presente no ato, além de o Hospital do Campo Limpo está passando para a gestão da organização social (OS) Hospital Israelita Albert Einstein, diversos setores do Hospital do servidor Público Municipal (HSPM) e do Hospital do Tatuapé foram totalmente privatizados. “Nós não aceitamos as terceirizações da saúde. Terceirizar é precarizar… Esses funcionários entram em um esquema de quarteirização e pejotização sem direitos trabalhistas. Nós não aceitaremos isso. Os médicos e médicas não aceitam o sistema de trabalho precário e colocar todos nós em risco”, disse Juliana na manifestação.

 

Faixa e cartazes do Simesp



COMPARTILHE ESTA NOTICIA


SIGA O SIMESP


CONTATOS

Assessoria de Imprensa

Nicolli Oliveira
(11) 3292-9147
nicolli@simesp.org.br


Redação

(11) 3292-9147
imprensa@simesp.org.br


NEWSLETTER

SIMESP - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS