Home O SIMESP Serviços Financeiro Comunicação Notícias e Eventos Contato Links
Simesp
Área do Médico

Associe-se Atualize seus dados Faqs Certidão de Quitação
Comunicação
 


   Editoria: De: Até:    

12/04/2019
Médicos e usuários do HSPM sofrem com estrutura deteriorada e quadro de funcionários incompleto
 

SIMESP
O Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) apurou, nesta sexta-feira dia 12 de abril, que os médicos, funcionários e pacientes do Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) têm sofrido com a péssima estrutura predial. O setor de nutrição dietética (responsável pela alimentação dos pacientes) sofre com infestação de insetos. Há também demandas estruturais de reforma do sistema de encanamento e climatização, do qual depende setores como Centro Cirúrgico e Centro de Material e Esterilização (CME), e também do setor de raio-x, que estão deteriorados.

Segundo Juliana Salles, diretora do Simesp, os médicos do HSPM também têm sofrido com quadro de funcionários incompleto e as contratações para reposição de profissionais têm sido feitas por meio de contratos temporários, uma vez que os médicos aprovados em concurso no 1º semestre de 2018 ainda não foram chamados. “Está claro que o estado de calamidade do HSPM é de responsabilidade da Prefeitura de São Paulo, que se recusa a realizar reformas e adequações necessárias”, explica.

O descaso com as reivindicações dos funcionários do HSPM levou um grupo de servidores a realizar uma manifestação na última sexta-feira, dia 5 de abril. Na ocasião, um grupo tentou encaminhar pauta de reivindicações ao superintendente do hospital, Antônio Celio Camargo Moreno. No ato, Flávia Anunciação, dirigente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Paulo (Sindsep-SP) foi agredida física e verbalmente pelo superintendente, que se recusou a ouvir os funcionários.

“A agressão é muito grave e é uma mostra de como a Prefeitura de São Paulo trata seus servidores municipais e as entidades sindicais que os representam: se recusando a dialogar ou atender às pautas reivindicadas” explica Juliana Salles. Não restam dúvidas que o prejuízo aos médicos e ao exercício da medicina reverbera à população usuária do HSPM, que segue sem o adequado atendimento básico à saúde.

Função história versus realidade do HSPM
O HSPM foi pensado para ser um hospital de referência para os servidores do município de São Paulo, mas atualmente atende à toda população central, uma vez que é o único pronto-socorro disponível a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) na região. Mesmo com demanda crescente, não há reposição adequada do quadro de funcionários e a depredação constante da estrutura predial é explícita. “Hoje o HSPM está muito longe de oferecer condições o desenvolvimento da profissão médica e atendimento adequado aos usuários”, finaliza Juliana.


Siga-nos

Fan page: https://www.facebook.com/simespmedicos

Youtube: https://www.youtube.com/simespmedicos



Voltar



O SIMESP Serviços Financeiro Comunicação Notícias e Eventos Contato  Links
- Diretoria
- Regionais
- Estatuto
- Processo Eleitoral
- Perguntas frequentes (FAQ)
- Associe-se
- Atualize seus dados
- Assessoria Jurídica
- Processos online
- Campanhas Salariais
- Convenções Coletivas
- Cálculo de I.R.
- Homologação
- Banco de Empregos Médicos
- Banco de Imóveis da Saúde
- Mural de Devedores
- Simesp+
- Tipos de Contribuição
- Calendário de Cobrança
- Certidão de Quitação
- TV Simesp
- Revista DR!
- Jornal do Simesp
- Simesp Esclarece
- Movimento Médico
- Simesp na Midia
- Cultura e Arte

Sede: Rua Maria Paula, 78 - 1º ao 4º Andar | São Paulo - SP | Cep: 01319-000 | Fone: (11) 3292-9147 - | Fax: (11) 3107-0819